ESTA NOITE GRITA-SE

24 mai19
Teatro da Trindade Inatel,
Lisboa, 17:00
LEITURAS DE "UM HOMEM É UM HOMEM"

Sinopse do Espetáculo

O Esta noite grita-se é uma iniciativa de leitura pública de textos de teatro que entra agora na sua 3ª temporada, tornada festim.

Escrito em 1884, "O Pato Selvagem" é uma das mais impressionantes peças escritas pelo dramaturgo norueguês. Um texto de elevado valor alegórico, usa como base a história do pato selvagem que, ao ver-se ferido, mergulha no lago e agarra-se às algas nas profundezas para morrer, evitando sobreviver ferido. Mostra-nos uma complexa teia de relações entre duas famílias, e a sombra que um passado mal resolvido faz emergir sobre personagens multifacetadas, profundas e magistralmente guiadas através das cenas num crescendo emocional.

Ibsen explora com mestria o tema da verdade e da mentira e a forma como ela é usada na esfera íntima. É, aliás, aí que reside o principal elemento trágico: as consequências de vivermos na mentira, ou os problemas do fundamentalismo da verdade absoluta - ambos podem ter, afinal, consequências desastrosas.

FICHA ARTÍSTICA
Texto: Henrik Ibsen 
Tradução: Gil Costa Santos e Ragnhild Marthine Bø 
Direcção: Miguel Maia e Filipe Abreu
Interpretação: David Pereira Bastos, Filipe Abreu, José Neto, Mia Tomé, Miguel Sopas, Paula Fonseca, Paulo B., Rita Cabaço e Tomás Alves

Ciclo de leituras encenadas que pretende celebrar a palavra, dando especial enfoque no texto dramático.
Ao longo das passadas 2 temporadas leram-se um total de 10 textos em 25 apresentações espalhadas pela cidade de Lisboa e com a participação de mais de 40 atores.
Este texto, de 1894, centra a personagem de Ivan (tio Vânia) no seio de uma família que habita uma decadente propriedade rural russa nos finais do século XIX. A enorme casa de campo é pano de fundo para a asfixia de Ivan, frustração por uma vida passada sem concretizar nenhum dos seus sonhos nem de se afirmar perante a realidade dos factos. Projecta-se na juventude de Helena, paixão impossível e disputada por Astrov, médico e amigo da família, também ele assombrado pelo passado perdido e pelo desânimo perante um futuro incerto. Espelhando a decadência da sociedade russa daquele final de século, Tchékhov surge com uma escrita simples e despojada, que ainda nos nossos dias ressoa e nos faz pensar que talvez os 120 anos que, entretanto, se passaram não tenham mudado muitas daquelas que são as nossas preocupações face ao futuro.

FICHA ARTÍSTICA
Texto: Antón Tchékhov 
Tradução: António Pescada 
Direcção: Miguel Maia e Filipe Abreu 
Interpretação: Catarina Wallenstein, Elsa Galvão, Érica Rodrigues, José Wallenstein, Nuno Nunes, Paulo Pinto, Pedro Gil, Sara Carinhas e Miguel Maia

Ciclo de leituras encenadas que pretende celebrar a palavra, dando especial enfoque no texto dramático.
Ao longo das passadas 2 temporadas leram-se um total de 10 textos em 25 apresentações espalhadas pela cidade de Lisboa e com a participação de mais de 40 atores.
É uma das mais enérgicas críticas sociais por parte do dramaturgo, conhecido pelo constante questionar dos alicerces do fazer teatral e do recentrar da sua função política. No texto fala-se de desumanização e normalização. A história situa-se numa possível colónia inglesa na Ásia (mas que bem podia situar-se na Europa dos anos 40), em que o povo é maltratado e diminuído pelas forças ocupantes. Galy Gay, estivador que vive com a sua mulher, sai de casa para ir comprar um peixe para o jantar, para nunca mais retornar. Num tom de comédia quase burlesca, Brecht apresenta-nos uma série de questões sobre o que define um homem e a sua individualidade: o que será preciso para que um homem passe a ser outro homem? Em que ponto é que alguém deixa ser esse para se tornar outro? De que forma o contexto em que nos inserimos nos transforma? Galy Gay é um homem que não sabe dizer não.

FICHA ARTÍSTICA
Texto: Bertolt Brecht 
Tradução: António Conde 
Direcção: Miguel Maia e Filipe Abreu 
Interpretação: António Mortágua, Bruno Bernardo, Isac Graça, Nuno Pinheiro, Patrícia Deus, Rita Loureiro, Rui Neto, Telmo Mendes, Teresa Sobral e Vitor dAndrade

PREÇOS
Geral | 4€

Descontos
Associado INATEL (extensível a 1 acompanhante) | Cartão Público | Pessoa c/defic. (acomp.)  |
Profissionais espetáculo | Maiores 65 anos

conheça as vantagens fnac

Vantagens exclusivas para aderentes fnac

OFERTA DA COMISSÃO DE BILHETEIRA NAS LOJAS FÍSICAS FNAC

Oferta no valor de 1€ por bilhete. Adira e desfrute desta vantagem.

Reserva gratuita de entradas para espetáculos nacionais

Até 1 semana antes do espetáculo. As reservas têm validade de 5 dias, mediante autorização do promotor.

Descubra todas as vantagens do Cartão Fnac em Fnac.pt

Adira já

Seguro Fnac

Seguro Bilheteira por apenas +1,5€ por bilhete. Reembolso do valor unitário do bilhete, até ao limite máximo de 120€.Condições Gerais do Seguro

call center FNAC

Reserva para aderentes e informações 707 31 34 35 (Chamada de custo controlado. Rede Fixa: 0,123€/min; Rede Móvel: 0,308€/min - IVA incluído).
Chamadas Internacionais +351 211 544 039. Todos os dias das 9h às 23h.

bilheteiras FNAC

Ver Todas

Utilização de cookies

Ao continuares a navegar estás a consentir a utilização de cookies que possibilitam a apresentação de serviços e ofertas adaptadas aos teus interesses. Podes alterar as tuas definições de cookies a qualquer altura. Para saber mais, clica aqui